Para petiscar e para lucrar - Newtrade

Para petiscar e para lucrar - Newtrade

Por Adriana Bruno

Dividido em oito categorias – biscoitos doces, salgados, nozes, castanhas e mixes, chips e salgadinhos, pipoca, barrinhas de cereais, snacks de frutas e pretzels –, o mercado de snacks fatura aproximadamente R$ 22 bilhões por ano e vem se renovando no Brasil, especialmente quando olhamos para movimentos do setor alimentício como os investimentos e lançamentos de produtos com apelo mais saudável. Movimentos que, aliás, vêm de encontro com a busca do consumidor por produtos que entreguem além de sabor, outros benefícios como menor adição de sódio e açúcares e adição de ingredientes funcionais como cereais integrais, por exemplo.

Vale dizer também que os snacks são produtos que atendem a todas as idades e são consumidos o ano todo, independente de sazonalidade. Fatores que levam o varejo e o atacado a dedicarem maior atenção à reposição dos estoques e gôndolas. Segundo Pedro Rodrigues, diretor da Milho de Ouro, para alavancar vendas e dar maior visibilidade aos produtos no ponto de venda é preciso destacar na gôndola o tamanho das embalagens, promover degustações e precificar de forma coerente. Ele ainda reforça que em períodos como o verão, a demanda por esse tipo de produto cresce especialmente em regiões litorâneas, o que demanda maior atenção das lojas tanto para não haver ruptura como em relação ao sortimento, que deve ser variado para atender a um perfil amplo de shoppers. “Atualmente, existem diversos perfis de consumidores, e cada um tem uma preferência específica. Observando o mercado que atendemos, vemos que o consumidor busca por produto de qualidade, ou seja, que entrega sabor, crocância e esteja em uma embalagem moderna, e ao mesmo tempo tenha preço acessível”, comenta.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA: ENCASO COMUNICAÇÃO
SÃO PAULO (11) 2950-2849 | RIBEIRÃO PRETO (16) 3617-6168
FONTE: https://newtrade.com.br/varejo/para-petiscar-e-para-lucrar/